quarta-feira, 4 de setembro de 2013

É tudo uma questão de "empatia"

E de repente o egoísmo das pessoas me saturou! A insensibilidade das pessoas próximas em relação ao nosso sentimento, não respeitar as regras, furar filas, a maldade em todo o mundo... Como podem as pessoas ser tão egoístas? Como podem deixar de se preocupar com o próximo? Como pode alguém roubar uma criança, sabe-se lá com qual finalidade? Não sei essas respostas. Porém, de repente, todas essas perguntas, e algumas outras, começaram a zunir em meus ouvidos, como um tapa na cara e, assim, enxergar tudo isso.
Como pude eu tantas vezes ser tão egoísta a ponto de não me compadecer com isso? Como pude ouvir uma mulher apanhando e não fazer nada para ajudar? Como pude eu esquecer que não existe apenas EU? Atitudes do cotidiano retratam coisas boas e coisas más... Todavia, só reparamos na maldade alheia e nos nossos bem feitos, como se isso nos redimisse de toda e qualquer atitude que tomamos pensando apenas em nós mesmos.

O mundo é o reflexo do que somos. Pelo o que acontece, parece que não somos boas pessoas. Entendo porque nunca me questionei sobre essas coisas, visto que, além de a verdade doer, é um fardo muito pesado para se carregar sozinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário